take what the water gave me

25 de setembro de 2018

Fechar os olhos, colocar os medos no escuro. Fazê-los ter medo de eles próprios. Ignorá-los até eles desaparecerem. 
O medo pode ser uma das maiores muralhas que temos de destruir, se assim o quisermos e conseguirmos, na vida. Em prol de algo maior, temos de o fazer. Se queremos atingir as nossas metas e viver sem pontos finais, sem vírgulas, há que o fazer. Digo isto apenas porque, quando decidi entrar nesta água, foi um bocado um "fechar os olhos ao medo". Não tenho medo da água, mas sim de não saber o que ela esconde. Tenho-lhe respeito. No fundo, valeu a pena, e muito. 

Fotografias: Joana César 






















UM PÉ NO OUTONO

21 de setembro de 2018





O verão ainda está aqui mas não consigo evitar pesquisar peças e inspiração para o outono, que tanto adoro. Adoro malhas quentinhas e sentir-me confortável sem ter trinta peças em cima do corpo, por isso, as que vos mostro acima, são aquele tipo de camisola que adoro vestir: bonitas e quentes. Por acaso é algo que falta um pouco no meu armário, visto que sou uma pessoa calorenta que odeia andar com muitos casacos e estas camisolas sempre solucionam um bocado essa questão. Quanto às botas, ainda não me consegui lançar para botas coloridas - vermelho vinil, adoro, mas os meus pés ainda estão envergonhados para isso, I guess -, então começo a pensar numas de camurça castanhas ou de vinil, pretas. A mochila é um sonho! Adoro malas simples mas com detalhes notáveis. Mais dia menos dia, podemos dizer adeus aos trinta graus e olá a peças como estas!
 Da minha pequena wishlist, qual a vossa preferida?  All from Dresslily



pontas soltas isso é comigo


Fotografias: Joana César 

Que throwback. É para isso mesmo que as fotografias servem. Para nos fazer lembrar. Neste dia, fui ver os Capitão Fausto ao jardim do Campo Grande. Passei uma das melhores tardes de sempre, com os meus amigos, com boa música. Mesmo após o concerto, ficámos até ao pôr do sol e tirámos estas fotografias. A golden hour nunca deixará de ser a minha altura preferida do dia para fotografar. 
Espero que gostem e que tenham um bom fim de semana! 


who run your world?

20 de setembro de 2018





Espero que a vossa resposta ao título desta publicação seja "eu!". Só vocês é que têm controlo do vosso mundo, só vocês é que podem e devem ter mão do mesmo. A vida torna-se mágica quando percebemos o nosso poder. A nossa capacidade de liderança. Não há nada a temer. Apenas temos de respirar fundo, colocar o nosso melhor sorriso, a nossa melhor peça de roupa - aquela que nos faz sentir umas autênticas rainhas -, e, acima de tudo, libertar a nossa mentalidade e usá-la da forma mais bonita possível. Quando queremos, somos capazes, independentemente de números, cores, feitios, capacidades. Se tu não comandares o teu mundo, alguém vai comandar por ti, e este vai deixar de ser teu. Nunca deixes que isso aconteça, e desfila por aí como se não houvesse amanhã e estivesses prestes a fechar o negócio multimilionário com que sempre sonhaste, como se estivesses a comer o melhor donut à face da terra, ou, simplesmente, como se estivesses a reinar o mundo. O teu mundo. 


alguém falou que ela dança num bar da beira do cais

19 de setembro de 2018



Este ano está a ser aquele com menos publicações na história do blogue. Sempre me esforcei para publicar constantemente - nunca foi um esforço com conotação negativa, visto ser a coisa que mais amo fazer à face da terra. Comecei a ver os números a descer, a escrita a ser menos frequente, bem como as sessões de fotografias a looks. A meditar um pouco sobre o assunto, percebi que não era por mal, mas simplesmente porque estava a viver fora da internet. A explorar novos sítios, a explorar novos gostos, a explorar melhor o que sou. 

É rara a pessoa que, hoje em dia, não tem uma personagem virtual, uma morada à distância de um click e uma vida exposta ao mundo. Faço parte desse grupo, é verdade. Este verão afastou-me um bocado do blog, simplesmente porque estava a viver. Muitas das vezes, nem me lembrava de fotografar o que estava a acontecer - ou até de captar algo pela sua beleza, como tanta vez faço. Fui a festivais, fui de férias, concentrei-me em acabar de ver as séries que tinha em falta. Fui ver o pôr do sol. Fui fazer aquilo que sempre se fez antes de a internet aparecer - sem a necessidade de registar. 

O melhor de tudo isto foi perceber o equilíbrio que tenho de ter para sustentar o meu trabalho virtual e a minha vida offline. Sometimes it takes losing everything you thought you needed to gain everything you ever wanted. Neste caso não perdi, apenas vivi sem durante um bocado. Voltei com mais inspiração e com vontade de mudar o blog, como já devem ter percebido, também. Estas fotografias têm um mês. Quando as tirei, não pensei utilizá-las para escrever algo assim. Cá estou eu, para fazer mais e melhor, como sempre prometi! O mundo tem muito para nos dar, por isso, é bom dar de nós também ao mundo. 




Dancing Queen, feel the beat from the tambourine

18 de setembro de 2018





 Sabem quando veem um filme e começam, automaticamente, a viver dentro dele? Compreendem as personagens como ninguém, desejavam conseguir estar dentro daquela realidade e todos os cenários, guarda-roupa e pequenos pormenores são uma maravilha aos vossos olhos. Abandonam a sala de cinema com aquela sensação de que deixaram um bocadinho da vossa alma no banco onde estavam sentados. Se viram as fotografias atentamente, sabem bem do que estou a falar. 
Mamma mia, my oh my! Exatamente. O musical. Assim que o segundo filme saiu, corri para as salas do cinema, como boa fã dos ABBA que sou, bem como do primeiro filme. As semanas que se seguiram foram totalmente inspiradas pelo guarda roupa do filme: jardineiras, peças soltas, cores pastel e muita, mas mesmo muita vibe hippie chic

A verdade é que a Donna sempre foi a minha personagem favorita do Mamma Mia, não só por ter uma alma incrivelmente livre mas também por ter um gosto peculiar com o qual me identifico bastante. No segundo filme, em que vemos a juventude da Donna, conseguimos perceber que ela não se molda com a sociedade nem com os seus estereótipos e que não é a típica rapariga de vestido, bem comportada. Adorei vê-la de jardineiras - aquela peça bem característica da personagem - e, por isso mesmo, aqui estou eu, numa adaptação à la heaven rose da Donna Sheridan. 
O que acham? Também vibram com o Mamma Mia como eu?

MERCANTINA PIZZA&GELATO

17 de setembro de 2018


Se pizza é um dos meus pratos favoritos, então pizza e gelado é mesmo aquela combinação que me faz a mulher mais feliz do mundo num ápice. A Mercantina apresentou o seu novo conceito Pizza&Gelato, que junta a inédita e saborosa pizza alla pala (pizza à fatia romana) à frescura dos gelados Davvero

Este novo espaço de street fooda cargo do Chef pizzaiolo Diogo Coimbra, encontra-se no centro comercial de Alvalade, bem no centro de Lisboa. Encontrá-lo não foi complicado, visto que os gelados e pizzas são vendidos numa carrinha específica à porta da Mercantina. Quem me conhece, sabe que adoro pizza e gelado, portanto sou um bocado suspeita para falar deste assunto, mas a verdade é que tudo aquilo que provei neste dia era divinal, desde desde a clássica Margherita a combinações exóticas de courgette, burrata e pimenta rosa. Quanto aos gelados, havia 12 sabores à escolha: escolhi manga. Super fresco, cremoso, delicioso. O melhor de tudo é que também é possível levar para casa: quer as pizzas alla pala quer os gelados Davvero, estes em recipientes de meio-litro ou um litro. A minha veia italiana está, sem dúvida, presente no meu paladar, que já está a pedir por mais, por acaso. Tenho de ir tratar de resolver esta vontade, certo?