#OPODERDANOSSAVOZ

1 de fevereiro de 2018

Os eventos que aconteceram nos últimos dias inspiraram-me a usar a minha voz. Não foram eventos felizes. Se estão a par deste mundo dos blogues e da internet, já devem saber o que aconteceu com a Alexandra Pereira, a blogger do Lovely Pepa. Para quem não está a par, ela fez um vídeo de meia hora onde revelou que desde cedo sofre de bullying e que, hoje em dia, sendo uma figura pública, é atingida diariamente com comentários maldosos, de ódio e até mesmo ameaças. É algo que a que toda a gente que se expõe está sujeita, infelizmente. O mais chocante foi quando revelou que a Vogue Espanhola detém e permite vários fóruns sem controlo/moderação com o objetivo de se comentar o estilo de figuras públicas/bloggers/famosos - e onde, claro, o ódio é fomentado. Um dos fóruns era exclusivamente dedicado à mesma e, lá, conseguiu encontrar mais de setenta mil comentários carregados de malícia. 



A Vogue, entretanto, já reagiu com um pedido de desculpas e com um apagar imediato dos fóruns. Não é fácil para ninguém. Ler algo sobre nós, sobre a nossa família - que muitas das vezes nem sequer está exposta mas acaba por ir de arrasto -, ler algo sobre o nosso corpo, sobre as nossas "imperfeições". Não consigo imaginar o que será ter o alcance da Alexandra Pereira, uma mulher de sucesso e que nunca, pelo meu conhecimento, teve uma má atitude, e ler o que lá se passava naquele fórum. Não consigo imaginar também como é que uma empresa como a Vogue deixou que tudo acontecesse "debaixo da mesa" e que, mesmo após várias queixas (porque a Alexandra não foi a primeira a expor o caso) nada fosse feito para impedir o cyber bullying. Fiquei triste não só porque, como sabem, sempre adorei a Vogue por si só, mas também porque o sucedido me relembrou que esta indústria da moda por vezes tem uns caminhos muito poeirentos e com alguns diabinhos a sussurrarem aos nossos ouvidos, a tentarem puxar-nos para o lado mais fácil mas também menos digno. Então neste mundo dos blogues, acreditem, já presenciei muita coisa feia. Não queria estragar a magia para ninguém, mas é a verdade. 

Atrás de um computador, todos conseguimos ser grandiosos. É tão fácil sê-lo, protegidos por um ecrã e um teclado que consegue transportar os piores e mais sujos pensamentos do nosso - salvo seja - cérebro para uma página online. Um "enviar" ou "publicar" e está feito, está o mal espalhado, não há cá consequências porque é a internet e hoje importa, amanhã já não. 
Não. Não é assim. As atitudes têm consequências em todo o lado. A internet não veio suavizar nada, as palavras doem na mesma - podem até destruir alguém. Temos todo o direito de nos sentirmos tristes com o que lemos sobre nós, a dor é válida, tem o mesmo impacto. Não se deve nem se pode desvalorizar o mal que é feito no mundo, seja ele físico ou virtual. 




Com isto tudo, e após pensar muito sobre o assunto, decidi falar um pouco sobre algo que me aconteceu ainda eu era uma adolescente muito perdida neste mundo. Acreditem, meditei um pouco sobre o assunto. Durante alguns tempos, senti muita vergonha disto. Entretanto, percebi: não há que ter vergonha. Eu não fiz nada de mal, sempre fui eu própria, sempre quis partilhar as minhas paixões com o mundo. Não há mal nisso. Ser mulher, hoje em dia, significa estar consciente do que se passa no mundo e ter uma voz ativa, falar sobre as coisas e divulgá-las. Quero, então, ser uma mulher. Com M grande. 

Tinha acabado de criar o meu blog. Estávamos no verão de 2012. Estava tão feliz, finalmente tinha decidido criar este meu espaço e ainda era tudo novo, brilhante e um mar de rosas - no meu caso, um céu. Não tinha muita gente a ler o que fazia, mas tinha o essencial. Tão essencial que ainda trago algumas leitoras no peito. Uma delas, tornou-se a minha melhor amiga. A Sara comentava regularmente o meu blog. Não sei como me encontrou, mas rapidamente comecei a comunicar com ela e foi uma das inúmeras coisas positivas que este blog me deu. Queria partilhar com vocês todas essas coisas, mas hoje o assunto é outro. 

Voltando ao belo verão do ano de criação do blog. Estava à procura de inspiração e de forma de me expor ao mundo. Tinha os meus quinze, dezasseis anos. Tinha as minhas inseguranças normais da idade e ainda estava a dar os primeiros passos na exposição virtual, tanto que no início ainda demorei a publicar fotografias em que a minha cara aparecesse - ficava cortada pelo pescoço, algo giro de se ver. Como já puderam perceber, estava à procura do meu pequenino lugar aqui, passo a passo, com muito medo. Sabia que a minha contribuição não era muita, mas queria dá-la. Bem sei, o que escrevia não era nada de especial, mas já era algo. 

Do nada, começo a receber imensas visualizações. Fui verificar as fontes de tráfego para descobrir de onde é que estava a receber tantas visitas. Percebi rapidamente que tinha sido criado um blogue que servia pura e simplesmente para gozar - não encontro palavra melhor - com bloggers e com as pessoas que trabalham nesta indústria - e eu, com a minha singela idade, já era uma das vítimas. Falo, portanto, do blogue Bimba Without The Lola. Não sei, até aos dias de hoje e passados tantos anos, quem está ou estava por detrás disto. 

Excerto do post
Entrando na publicação, era isto que se podia ver. "A Maria Lisboa é a Maria Vai Com As Outras". Contextualizando, a publicação em que pegaram para fazer pouco tinha como título "Maria Lisboa", que, para os autores, pelos vistos, era sinónimo de mais uma que ia no rebanho. Por amor a alguma entidade divina que ande por aí fora, eu era uma recém adolescente - para não dizer criança - e já estava a fazer comichão a alguém. Qual é o mal das pessoas fazerem aquilo de que mais gostam? 
Não foi nada fácil, sempre fui daquelas pessoas que gosta de entrar na brincadeira, mas a verdade é que aquilo me afetou bastante e durante algum tempo perdi a confiança no futuro do blog.  Logo eu, que desde nova era gozada pela altura e pelas sobrancelhas grossas. Geralmente, o pessoal gosta de suavizar este tipo de coisas. Dizer que é só uma brincadeira, para não se levar a mal, ou até mesmo que estamos a ser demasiado comiserativos. Eu ouvi de tudo, mas, principalmente, tive amigas que me apoiaram. Há problemas piores no mundo, é uma verdade! Ainda assim, não deixa de ser um problema para nós. A pequena borboleta de alguém foi o meu furacão interior. 

Excerto do post 

Quando li "vítima de todas as tontas que se acham mega bloggers de moda", caiu-me a ficha. Pensei "o que é que eu ando a fazer aqui, mesmo? Não tenho nem nunca vou ter jeito para isto". O pior é que via imensa gente no meu facebook a dar apoio a este blogue - não ao meu caso em particular mas sim ao blog em si -, principalmente pessoas com alguma influência neste mundo. O pessoal gostava do que lia, da chacota, do gozo, do rir à pala dos outros. Até porque cá em Portugal faz uma comichão enorme ter um blogue. Não sei se já repararam, mas é verdade. É-se atacado com mil e uma pedras. Li coisas sobre o mundo dos blogs como " Vivemos numa época em que qualquer pessoa se acha "isto ou aquilo" mesmo quando pouco ou nada percebe sobre "isto e aquilo"...e julgam que criando os seus próprios ego-bloggers com fotos tiradas na horta da avó, com péssima qualidade de imagem e com looks sem ponta por onde se lhe pegue, já são muito fashionistas e estão prontos para sair por aí a fazer styling e afins!". 

Para mim, é mais triste gozar com alguém do que se mostrar aquilo de que se gosta, tendo qualidade ou não. Quem somos nós para gozar com o próximo? É preciso ter cargas negativas muito extensas na alma para perder tempo com coisas deste género. Até porque a maior parte das bloggers que hoje em dia são conhecidas começaram do zero, com os seus "trapos da Zara", tal como eu. O pior disto, sabem o que é? As pessoas que apoiam estes movimentos e acham muito cool, criam os seus grupos - cheios de lobismo - e acham-se no direito de gozar, porque, claro, é assim que se ascende: concordando com o que os fixes dizem. Não. Não é fixe. Nunca foi. Só nos filmes americanos sobre escolas secundárias e dramas de cheerleaders. 


No meio disto tudo, o que me deixou mais triste foi o "percebeu que todas despejavam o vento das suas mentes numas coisas chamadas Blogs". Valorizo mais o interior do que o exterior, e se há coisa que não tenho é vento cá dentro, nem me lembro de em parte alguma do meu percurso o deixar transparecer, mas lá estavam aquelas palavras a fazer ricochete cá dentro. E que ricochete. Na altura falei até com os meus pais sobre isto. Percebem o impacto? Não é só uma publicação para os outros rirem. Mete piada para toda a gente menos para quem é mencionado. E tal como fui lesada à minha maneira, tantas outras bloggers o foram e tiveram de ler coisas maldosas a respeito das mesmas. 

Sei que tudo isto pode parecer fútil, minúsculo, sem motivos para uma publicação deste tamanho, mas é real e está a acontecer. Tal como aconteceu à Alexandra, tal como me aconteceu, tal como acontece a outros milhões de pessoas, o cyber bullying é real e tem o valor que tem. O amor deveria ser aquilo que mais se partilha neste mundo e infelizmente não é. Hoje em dia, parece que o bom é ignorar, ser-se mau, desvalorizar o próximo situações como esta. Se aguentaram e leram tudo até aqui, tenho a agradecer imenso. Pensei bastante, como já disse, sobre isto. Não quero transmitir ideias erradas ou fazer-me de vítima, mas sim dar uso à minha voz. 



Depois de tudo isto, tenho um apelo. Criei uma hashtag: #opoderdanossavoz. Acho importante aproveitarmos esta ferramenta que nos foi dada e aliá-la ao nosso poder. Enquanto seres humanos, devemos combater aquilo que nos destrói. Assim, usem a # no título das vossas publicações que falem sobre o cyber bullying ou alguma situação que queiram expor (se possível, deixem o link nos comentários porque eu adoraria ler e ajudar). Também o podem fazer através do Twitter ou Instagram. Espalhem a palavra! Vamos mostrar que não é bom criar este tipo de situações negativas nem alimentá-las. Esta foi a minha história, apesar de pequena. Obrigada por lerem! Juntos, não somos só uma gota mas sim um oceano!


13 comentários:

  1. Linda Carolina, que texto bonito! Imagino o que passaste ao ler esse tipo de comentários. Expor-nos na internet já não é fácil de si, ainda mais levar com um negativismo desse tamanho. Concordo completamente contigo em relação ao tabu contra bloggers em Portugal. Eu desde que me lembro que sempre quis partilhar a minha paixão por moda com outros, mas sempre resisti à ideia exatamente por esse medo de ser mal interpretada pela grande maioria das pessoas. E só há um ano atrás ganhei confiança para o fazer! Agora que aos poucos vou encontrando outras pessoas nesse mundo vejo como maioria das pessoas continua a ter receio. Podem até acompanhar e seguir grandes bloggers, mas se conhecerem uma amiga que está a tentar construir algo do género vai manter o preconceito contra ela. E não faz sentido. Acho que é algo do povo português mesmo, no geral temos uma mente muito fechada e agarramos como muita força a valores antigos, de maneira a que temos medo de tudo o que é novo e a resposta imediata é gozar e falar mal. Temos que entender e ensinar a ver que essa não é a melhor atitude. E é falando sobre o assunto que se resolvem as coisas. Fizeste muito bem ! #opoderdanossavoz

    ResponderEliminar
  2. Carolina, li-te com a avidez de quem sabe o que é ser gozada "só porque sim" - no meu caso, offline, mas sei que magoa de qualquer forma. Às vezes até pode magoar mais online porque nem vemos a cara de quem nos quer tanto fazer mal só porque pode. E obrigada por partilhares aqui.

    Lembro-me perfeitamente desse blog - e, mea culpa, de vez em quando ia espreitá-lo a pensar que as autoras (ou autores, sei lá) eram umas bestas lol o que é certo é que conheci muitos blogs bons graças a elas, abençoadinhas! Sei que a pessoa que sou hoje não o leria. Mas sei perfeitamente que estava cheio de comentários maldosos, vazios e escusados, e o impacto que teve foi terrível - fiquei a conhecê-lo na altura precisamente através de uma das visadas que, felizmente, era já mais velha do que tu na altura então não se deixou ir tanto abaixo, mas, óbvio, isto faz sempre mossa, por muito seguros que sejamos. E há que ser como tu, dar a cara, falar do assunto, para que se perceba o impacto. Quem for de bom coração, saberá o que evitar fazer. Quem for de mau coração ri-se e critica, mas, para dizer a verdade, esses pouco importam :) Um grande beijo!

    Jiji

    ResponderEliminar
  3. Lembro-me perfeitamente desse blog e de ter lido, na altura, esta publicação sobre ti e achar que estava perfeitamente descabida. Uma maldade acima do comum sem qualquer sentido que não o maldoso.
    Nunca passei por uma situação semelhante mas demorei 4 anos a divulgar o blog junto de toda a gente da minha vila mesmo por isso - o medo de gozarem, do estigma errado que está em volta de ter um blog e de baixar a minha auto-estima (então muito baixa).
    O teu trabalho, tanto na altura como agora, sempre foi de uma pessoa extremamente apaixonada pelo mundo da moda e por partilhar com os outros e sempre o admirei! Agora, muitos anos depois, digo-te que tens dos blogs mais coesos e com fotografias mais bonitas. Continua sempre, Carolina!

    My Own Anatomy ✨

    ResponderEliminar
  4. Vi este vídeo e fiquei mesmo admirada. Há mulheres mesmo muito más que não conseguem ver o sucesso de outras mulheres... Acho que são comentários muito graves que deviam mesmo ser punidos!!

    Novo post: http://abpmartinsdreamwithme.blogspot.pt/2018/02/dream-trip-precos-restaurantes.html

    Beijinhos ♥

    ResponderEliminar
  5. Muitos <3 para esta publicação! Muito obrigada por teres escrito esta publicação e teres quebrado o silêncio com um assunto que, certamente, não foi fácil de abordar para ti.
    Não conhecia esse blog, mas fui agora ler algumas publicações, e é tão descabido. Só publicações cruéis. Criar um blog só para gozar com outras pessoas é totalmente maldoso!
    Nunca estive numa situação de cyber-bullying ( tirando alguns comentários de haters), mas sofri bullying offline, quando era mais nova, pelo que sei o quanto as palavras podem ferir. Mas imagino que online ainda firam mais, uma vez que estão aqui, na Internet, para toda a gente ver, e não tens uma pessoa específica para apontar o dedo.
    Nada apaga o sofrimento que passaste, mas sabes aquilo que agora deve estar a ferir aqueles que gozaram contigo? O teu sucesso. Porque, há uns anos atrás, eles não imaginavam que chegarias onde chegaste hoje. Hoje, és uma das bloggers de moda mais admiradas em Portugal. E isso é a melhor vingança que poderias ter feito. Continua assim, e nunca desistas dos teus sonhos :).
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  6. Não fazia a mais pequena ideia, e nessa altura também eu tinha um blogue anónimo e creio que te seguia. Por isso, estou estupefacta como tudo isto me passou ao lado!
    Por um lado, ainda bem, não é?

    Pensa que agora é possível de veres tamanha evolução fruto da tua não desistência!

    ❥ Biju da Ju,
    juvibes.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  7. Acho que o que me choca mais ainda foi eu ir ver o tal blogue, ver as pessoas que lá colocaram, ver uma pessoa que conheço e sigo e pensar "fogo, coitada... não acredito!" e mais para a frente ver que essa mesma pessoa já tinha gozado com outras nos comentários. Pois está bom, então... Não conhecemos mesmo ninguém neste mundo das internets, é impressionante :(
    Beijinhos ❤
    WWW.ADRIANASIMOES.PT | CUMPRI A 1ª META DE 2018

    ResponderEliminar
  8. Nunca tinha ouvido falar do blog que mencionaste mas fiquei mesmo desiludida, não percebo como há pessoas com tão mau caráter. Não conhecia o teu blog, mas depois de ler este post fico super feliz por ver que nunca desististe. Depois de ver as tuas fotografias atuais vi que evoluíste imenso e tenho a certeza que muitas meninas inspiram-se em ti. Tem que se começar por algum lado e tu criaste o teu caminho e estás a fazer um excelente percurso, digam o que disserem, isso vê-se pelos resultados do teu blog! Continua assim! Ganhaste uma nova leitora :) Mil beijinhos*

    ResponderEliminar
  9. Quero começar por dizer que neste momento só te quero dar um abraço - embora não te conheça sem ser através daqui -, não por ter "pena" (como detesto essa palavra!), mas porque foste tão forte, tanto na altura como agora por partilhares com os teus leitores o sucedido de modo a tentar prevenir situações futuras dando iniciativa a que as pessoas tomem uma posição.
    Custa-me imenso pensar que há pessoas neste mundo que são capazes de tal coisa e, quase pior, pessoas que compactuam com isso e não vêem o problema, mas a verdade é que há e deixa-me feliz que estas histórias comecem a ser conhecidas e partilhadas na internet (apesar de, obviamente, a situação ideal e bem melhor teria nunca terem acontecido) para que as pessoas percebam que o cyberbullying não é apenas um termo e existe mesmo, tendo
    de facto um impacto muito negativo nas pessoas que por ele são afetadas.

    Já te sigo há muito tempo mesmo, desde 2013. Lembro-me de na altura achar que tinhas looks super giros, um design suuuper inovador (andava eu ainda a utilizar fundos com padrões e tu já num design super clean - tanto que uma vez perguntei-te no facebook que design usavas e fiquei confusa quando me disseste o simple; sabia lá eu o que era isso de alterar o html xD).
    Com isto quero dizer que ainda bem que conseguiste suportar tudo isso e continuaste. Tens um blog fantástico Carolina, exponencialmente melhor a cada dia que passa e espero poder continuar a acompanhar o teu trabalho fantástico.

    Acredita sempre em ti!
    Beijinhos!!

    ResponderEliminar
  10. Sigo-te desde praticamente o início deste blogue e já tive o prazer de te conhecer e conviver contigo durante uma tarde e só tenho a dizer uma coisa: não ligues aos comentários negativos, são pessoas que de certeza gostavam e queriam estar na tua posição!
    Tens um blogue incrível e és uma rapariga 5* que tenho a certeza que ainda vai dar muito que falar!

    beijinhos, Tita
    ps: segui o teu conselho e criei o meu blogue.
    www.22eagora.blogs.sapo.pt

    ResponderEliminar
  11. Nem acredito que acabei de perder tempo a explorar aquele blog terrível e reles. Meu Deus, como é suposto estarmos à vontade com isto a acontecer à nossa volta?
    Sabes... compreendo-te melhor do que imaginas e vivi cyber bullying bem de perto e praticado por pessoas que julgava minhas amigas, por isso, ler isto foi como um avivar muito forte das minhas memórias.
    Lamento tanto que as pessoas passem por isto como eu passei... não sei se farei publicação sobre o meu testemunho, porque, ainda é algo que expõe muitas pessoas à minha volta e expõe as pessoas que foram más comigo e não me sinto à vontade para o fazer, porém, acho mesmo inspirador e bonito que tenhas criado a hashtag e espero que muita gente a use. Vou segui-la bem de perto.
    Obrigada por teres dado uso à tua voz. Mesmo! Espero que muitos te leiam e se sintam inspirados a mudar o mal no seu interior ou até a melhorar o bem que já faz parte de si.
    Beijo enorme, um xi-coração apertadinho!

    ResponderEliminar
  12. Lembro-me tão bem deste blog idiota. Lembro-me que também tinha começado há pouco tempo na altura e que todos os dias visitava o blog com medo de lá estar. Não me recordo de ti, mas talvez ainda não tivesse tropeçado neste teu cantinho tão mágico. É verdade, por um motivo que não entendo, faz muita comichão ter um blog em Portugal e o que aconteceu com a Pepa deve ser a realidade de tantas influenciadoras...

    E infelizmente, isto não vai mudar tão cedo na minha perspectiva. Cada vez mais vejo as pessoas a destilar ódio gratuitamente e a internet só incentiva a isso. É uma treta, para não dizer pior :(

    THE PINK ELEPHANT SHOE // Ganha um cabaz de novidades da Nyx!

    ResponderEliminar

Deixa aqui o teu comentário, opinião, ou pergunta! Para obteres respostas mais rápidas envia um email para the-heaven-rose@hotmail.com ♡