4 de julho de 2016

on the screen | EQUALS

"Uma história de amor contida e repleta de nuances, o filme tem lugar numa sociedade utópica futurista, onde as emoções foram geneticamente suprimidas, num esforço para proteger a sociedade contra a guerra e os conflitos que destruíram gerações anteriores. Ocasionalmente, a supressão falha e as emoções surgem em indivíduos – o Coletivo chama a esta doença Síndrome de Operacionalidade Sistemática, ou SOS. Como a sociedade está cada vez mais ameaçada por esta crise de saúde, todos os doentes de SOS são fortemente medicados ou enviados para o NEA, um centro de correção do qual ninguém regressa.


Confesso que quando vi o trailer não fiquei rendida, mas decidi dar uma chance a este novo filme do Drake Doremus, que completa a sua trilogia de filmes sobre amor - Like Crazy (2011) e Breath In (2013). Achava que ia ser demasiado monótono e futurista para o meu gosto mas a verdade é que me surpreendi bastante. Numa sociedade onde os sentimentos são uma doença e há regras a serem compridas, há pessoas que fogem ao padrão, tal como Nina (Kristen Stewart) e Silas (Nicholas Hoult), descobrindo que nutrem algo um pelo outro. Para não vos dar mais spoiler, não me vou adiantar. 

Porém, tenho de realçar algumas coisas: a soundtrack, que inclui Beethoven, Schubert, Chopin, Mozart e J. S. Bach, encaixa perfeitamente no filme, criando o envolvimento e suspirante necessários para nos deixar presos ao ecrã; toda a arquitetura que aparece ao longo do filme (a maior parte existente); o uso do contraste frio/quente em termos de cores para transmitir emoções; a fotografia e todos os enquadramentos geometricamente perfeitos e agradáveis, bem como minimalistas, ajudando a criar o cenário futurista; a escolha de Kristen para o papel de Nina - todos sabemos quanta habilidade tem para não mostrar emoções, sendo perfeita para este papel; e, por último, o fator surpresa que me deixou maravilhada (quem vir o filme vai perceber). 

Visualmente foi um filme que me prendeu bastante. Há um foco sobre as emoções e as sensações feito através da imagem e do som. Também a história de amor que se desenvolve gradualmente foi algo que também me agradou bastante. Ótimo para quem gosta de uma boa história de amor! 

Deixo-vos o trailer para ficarem com uma ideia. Já tinham ouvido falar do Equals e estão a pensar vê-lo nos cinemas?  



4 comentários:

Andreia Melo disse...

Já ouvi falar, mas ainda não vi! Está na lista, até porque adorooo o Nicholas Hoult!! :)

Beijinhos, xx
mylittlecorner7.blogspot.pt

Skye Lopez disse...

It will be worthy to be seen.
white sheer curtains

Marta Sobral disse...

Obrigada meu amor! ♥
Eu aqui em época de exames e tu a dares dicas de filmes... Tu não me tentes rapariga!
https://keepcalmandshopvintage.blogspot.pt/

Inês Brito disse...

Já vi o trailer, parece super interessante! ❤