19 de janeiro de 2018

AROUND SEVILHA # DAY 1

Para começar o ano em bem, fui passar a meia noite ao nosso país vizinho. De 31 de dezembro a 2 de janeiro misturei português com espanhol num jeito envergonhado e de maneira a desenrascar-me. A verdade é que, apesar de serem línguas tão parecidas, às vezes a comunicação não é fácil. Dificuldades à parte, estive três dias em Sevilha. Fiquei num bairro típico chamado Triana, junto ao Guadalquivir. Estava super bem localizada, bastava sair do hotel - que era pet friendly e então consegui levar a minha Alice -, e andar um pouco para encontrar os principais monumentos e poder deslumbrar-me com a arquitetura, jardins e cores típicas da cidade espanhola. 

No primeiro dia dediquei-me a explorar a zona que me rodeava. É muito fácil encontrar o que fazer ou o que ver nesta cidade, confesso! Sou suspeita, é verdade. Adoro arte antiga. Estava nas minhas sete quintas e para onde quer que olhasse, ficava admirada. Vi desde a Catedral de Sevilha, alguns bairros típicos, o edifício La Adriatica, o Metropol Parasol (uma construção brutal, a maior do mundo, aliás, em madeira, na praça La Encarnación) a tantas outras coisas que adorei. Como estava mais preocupada em passear, as paragens para almoçar e jantar foram quase patrocinadas pelos 100 Montaditos - que quando feitos em Espanha parecem ainda melhores. Adorei também ter parado nalguns cafés típicos que serviam tapas e alguns petiscos típicos super saborosos - que nem sobreviveram para a fotografia. Tentei registar ao máximo estes dias. Estas são as minhas preferidas do primeiro dia, espero que gostem!






16 de janeiro de 2018

and a lust for life keeps us alive

Foram as últimas fotografias que tirei em 2017. São as primeiras que vos mostro em 2018. Gosto de entrar com o pé direito - superstição ou não, mais vale prevenir do que remediar, e até aqui gosto de começar bem. Há quem diga que nada muda na passagem do ano. Há quem diga que tudo pode mudar. Cá eu, gosto de acreditar que tudo depende de nós. É apenas mais uma volta ao sol, mas não precisa de ser uma volta chata e à qual já estamos habituados. Façamos jus àquilo que o ano deve ser: novo. Encarar como um incentivo, um fresh start. 

2018 vai ser um ano de mudanças. De deixar para trás o que me faz mal e de abraçar o que de novo a vida tem, principalmente porque, em princípio, vou-me licenciar em jornalismo - digo em princípio só mesmo pelo jinx. É complicado fazer planos para o futuro, visto ser algo tão inconstante e dependente de tantas variáveis. Ainda assim, governamo-nos com o que temos, já dizia a minha mãe.

Num dos últimos eventos da Canon, a Graziela Costa tirou-me algumas fotografias para testar a nova máquina lançada pela marca, a M100. Espero que gostem e um bom ano a todos!




22 de dezembro de 2017

all the lonely people, where do they all belong?

A franja veio ajudar em muita coisa, principalmente em gostar de me ver de boina - fez toda a diferença, acreditem. Já estava eu a sentir-me muito parisiense, a ler livros sobre o estilo de vida das francesas e tal, quando me lembrei que nem uma boina, essa coisa tão típica de lá, eu tinha. Arranjei logo duas: esta cinzenta e outra encarnada. Quanto ao look, é algo em que não pensei muito, confesso-vos. De vez em quando lembro-me de tirar estes ténis do armário e aproveitei a paleta de cores que os mesmos têm para construir algo a partir daí. É uma boa opção para quando estão sem ideias! 

Casacos quentinhos nunca são de mais. Este é dos meus preferidos, até porque cinzento é aquela cor que raramente nos falha. Neste dia, apesar de ter usado uma manga curta, estava bem quentinha - não se deixem enganar, eu não sofro com frio. Por falar nisso, espero que estejam a ter dias felizes e que tenham um natal bem quentinho! 



Shirt from HERE |  Sneakers: Vans | Pants and bag from Heaven's | Coat from Primark