28 de julho de 2015

suddenly I'm hit, is this darkness of the dawn?

Crop top: Primark, Skirt: Pull&Bear

Comprei esta saia nos saldos (e fiquei super contente, foi um achado) porque saias azuis nunca são demais e esta faz uma roda lindíssima. Adoro usar esta combinação de verde, azul e vermelho. Para mim são cores básicas e é muito fácil serem encontradas no meu armário, principalmente no inverno. Como estamos no verão, limito-me a usar estas cores na minha combinação preferida. Top crop + saia. É o ideal!

O que acham do conjunto? Love you all,

24 de julho de 2015

she loved mysteries so much that she became one


É muito bom quando trabalhamos com pessoas cujo portefólio apreciamos há muito. A Francisca Maria trabalha na área de fotografia há alguns anos e costumava ver o seu trabalho, até que surgiu a oportunidade de ser uma pessoa captada pelo seu olhar. Esta é apenas a primeira parte da sessão, que foi feita em várias áreas de Lisboa. Mais está por vir, com outros contextos. Adorei todas as partes, a qualidade e profissionalismo da Francisca são enormes e o trabalho de edição, excelente. 

Podem conhecer e acompanhar o trabalho da Francisca na sua página de Facebook, no Tumblr e no Deviantart. Espero que tenham gostado tanto quanto eu! As próximas publicações revelarão mais fotografias, keep tunned

23 de julho de 2015

I WANT EVERY OTHER FRECKLE

White Shirt (c/o): TALLY WEiJL, Shorts and bag: Primark, Necklace (c/o): Happiness Boutique Watch (c/o): Daniel Wellington, Boots: Pull&Bear

A música tem tantas maneiras de nos inspirar na vida que acaba por ser mágico. É terapia e inspiração. Posso dizer que para estas fotografias, tiradas pelo meu grande amigo Paulo, a música foi importante. Fui ao último dia do SBSR e adorei Palma Violets, Unknown Mortal Orchestra e claro Florence + the Machine. Há cinco anos que queria ver a Florence, adoro-a desde sempre. Sabem bem a minha paixão pela Lana, certo? Penso que colocaria a Florence um patamar abaixo. É a sua personalidade angelical conjugada com a expansão triunfal assim que começa a cantar. E fiquei inspirada. Pelo estrondoso concerto que deu, pela energia única. No concerto usou uma túnica idêntica a esta e ver aquela mulher a cantar a How Big, How Blue, How Beautiful, de braços abertos, iluminada por uma luz dourada vinda de trás e as mangas enormes a ocupar o espaço à sua volta deixaram-me maravilhada. A depressão pós concerto é inevitável mas ainda está tudo tão presente...

E depois temos as fotografias em si, que me lembraram alguns frames da Every Other Freckle, dos alt-J. E é assim que vou escrevendo e trabalhando.
Decidi conjugar estes calções que adoro adoro adoro com a túnica da TALLY WEiJl, as minhas eternas botas (não, elas não querem reforma!) e alguns acessórios mais boho. Que acham?